E o PP escolheu seu par…

Crônicas da vida real | Por Adriana Bezerra | 3 meses atrás | 312 |

Como uma noiva cobiçada, o PP bailou com todos os pretendentes na maratona pré-eleitoral.

Rodopiou o salão político. Ensaiou até uma dança solitária.

Hoje, escolheu seu par.

Mérito dos valsadores Lucélio e Luciano, que tiraram o PP pra dançar dos braços do governador Ricardo Coutinho.

E pros braços de Ricardo nem Aguinaldo nem Daniella nem Enivaldo se animaram a retornar.

A música progressista acabou para o PSB.

Nesse fim de festa, será que ele é capaz de fazer alguma reflexão sobre tantos pisões? Sobre a perda do rebolado?

Será que sai algo meio púbere do tipo: o que será que eles têm que eu não tenho?

Não faz tempo, os irmãos eram subestimados sem cerimônia por Ricardo e seu séquito girassol.

Hoje, nenhuma pétala ousa fazê-lo.

Não depois de lhes impor tantas derrotas; de lhes provocar tantos tropeços.

E sim, eles têm algo a mais:

Revezam a condução da dança.

Não impõem o ritmo do bailado.

Não é assim, afinal, que se forjam os melhores bailarinos?