Mitando: Bolsonaro personifica governo e dá salto carpado na Constituição

Crônicas da vida real | Por Adriana Bezerra | 1 semana atrás | 68 |

O governo Bolsonaro já tem uma fisionomia bem definida:
A dele mesmo.
Militantes com camisetas do “mito” formam o pano de fundo do site oficial do Governo Federal.
E em transmissão ontem da posse dos novos presidentes dos bancos, a NBR – emissora estatal de TV veiculada a Secretaria de Comunicação da Presidência da República – avisava em caracteres graúdos o novo nome do Governo do Brasil:
Governo Bolsonaro.
Governo dele. Do mito.
Mitando, porém, Jair Bolsonaro e estafe dão salto carpado na Constituição Federal. E aterrissam em ato de improbidade.
Personificações contrariam frontalmente o Artigo 37 da CF:
“A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, IMPESSOALIDADE, moralidade (…)”

Vai dar tema de redação do Enem? Novo responsável pelas provas fala sobre transgêneros e Pablo Vittar
“Nunca deixemos de dizer a verdade: o fenômeno transgênero é a indução da doença mental em escala global. Quem quer que contribua com essa palhaçada é um inimigo da humanidade. E. claro, não entendam que isso se refere ao pobres (sic) travecos em si, mas aos filhos da puta que insistem em dizer que Pablo Vittar é uma moça e que a coisa mais normal do mundo é castrar rapazinhos de quatro anos”.
Será vai dar tema de redação?
Murilo Resende Ferreira, novo responsável do Enem, soltou em seu twitter essa pérola sobre transgêneros.
Sobrou até para Pablo Vittar.