Pâmela, o gatilho de Carlos contra Julian

Crônicas da vida real | Por Adriana Bezerra | 2 semanas atrás | 325 |

 

Se havia uma interrogação sobre o que ou quem acionara o gatilho do primeiro-filho Carlos Bolsonaro contra o deputado eleito Julian Lemos, a própria arma resolveu se apresentar:

Muito prazer, Pâmela Bório!

Ato contínuo à surpreendente lapada virtual de Bolsonaro filho, reduzindo o muito inflado espólio político de Lemos pós eleição, ela própria foi às redes sociais em desabafos desconcertantes de tão cristalinos.

Recitou a ficha criminal de Julian, afagou filho, reverenciou pai e numa retórica bem característica dos seguidores do homem, misturou religiosidade com disputa paroquial por espaços políticos para explicar porque o deputado federal eleito mereceu cada pancada.

Fez mais: ressuscitou fatos da campanha eleitoral, em que Julian teria exercitado sua persona de fichado em Maria da Penha; insinuou transações ilícitas e prometeu mostrar o pau que aniquilaria a cobra atacada por Carlos Bolsonaro sob sua inspiração.

Pâmela acusa Julian até de uma dissimulada “esquerdopatia” , patologia que estaria se manifestando no deputado federal eleito em acordos costurados nos bastidores com a tropa de Ricardo Coutinho e João Azevedo.

Com tudo o que disse, Pâmela deixou claro o que não disse:

Quer ser a garota de Bolsonaro no Nordeste.

E ai de Julian se não deixar.