“Serei defensor da integridade da comunidade LGBTI+”, diz Sérgio Queiroz, condenando ataque homofóbico em JP

Crônicas da vida real | Por Adriana Bezerra | 2 semanas atrás | 243 |

O pastor Sérgio Queiroz, que passa a comandar a Secretaria Nacional de Proteção Global, condenou ataque homofóbico em João Pessoa e garantiu que será defensor da integridade da comunidade LGBTI+.

“Ataques à comunidade LGBTI+ são inadmissíveis e devem ser tratados com rigor para que essa comunidade seja respeitada e cuidada. Uma das ações será a ampliação do combate a esse tipo de ação.”

Ele também revelou ao blog que sua primeira reunião na nova pasta foi com o presidente da Associação Brasileira de Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, Toni Reis – sinalizando, assim, que dará atenção às demandas LGBTI+.

Queiroz garantiu, ainda, que a nova secretaria manteve a mesma estrutura dos governos anteriores. E amplificará o leque de atuação.

“Outras proteções serão incluídas. Honrarei a minha Paraíba e a minha história de amor pelos pequenos e vulneráveis, independente dos seus credos ou ideias será mantida”, declarou.

As declarações do secretário ocorrem em reação a texto do blog apontando omissão em relação a comunidade LGBTI+ em sua primeira mensagem, dirigida à Fundação Cidade Viva.

Queiroz assegurou que a referência estava implícita. “Quando disse que iria cuidar das minorias, o público LGBTI está incluído , assim como a população cigana, etc.”

Liberdade religiosa

Sérgio Queiroz revelou que o primeiro ato da nova secretaria sinaliza a disposição do novo governo de proteger a liberdade religiosa.

Trata-se de uma alteração na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional que passa a permitir ao aluno faltar a uma aula ou deixar de fazer uma prova no dia em que sua religião não permitir. A lei foi publicada na edição desta sexta-feira 4 do DOU (Diário Oficial da União).

“A proteção à diversidade religiosa estará comigo. Fé não se impõe. Ter fé ou não é um direito inalienável”, resumiu Sérgio Queiroz, que também é pastor.